Categoria: Pesquisa

28 de agosto de 2018
Após a ocorrência de lesão cerebral, que pode acontecer por diversas causas já citadas no textos anterior, dependendo do local e extensão da área cerebral acometida, o sujeito pode apresentar dificuldade comunicativa, devido a um déficit de linguagem. Essas dificuldades podem apresentar-se clinicamente como a perda da capacidade de compreensão, dificuldade para expressar nomes de objetos, e até mesmo a perda da capacidade de emitir qualquer palavra ou expressão oral, como no caso do mutismo. Muitas são as classificações das afasias e dessa forma abordamos neste texto as tipologias destas, para esclarecer o que pode estar acontecendo no caso do sujeito afásico, sendo ele seu familiar, amigo ou paciente.
É importante destacar que não existem duas pessoas que usem a linguagem de maneira idêntica, tampouco com afasias idênticas (Brust, 2000), mas por meio das manifestações clínicas e identificação das habilidades linguísticas comprometidas, torna-se possível agrupá-los em uma mesma classificação de afasia. Primeiramente é importan

2 de agosto de 2018

A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, agência para controle de medicamentos, aprovou na última semana a tafenoquina (Krintafel), primeiro medicamento de dose única para “cura radical” da malária, causada pelo Plasmodium vivax em pacientes com ≥ 16 anos, que estão recebendo terapia antimalárica para infecção aguda. A droga foi desenvolvida pela GSK em parceria com a Medicines for Malaria Venture (MMV), como uma alternativa à primaquina, utilizada no tratamento da recidiva da malária e que pode causar anemia e mal-estar. Para a aprovação da nova opção terapêutica, foram realizados três estudos randomizados, duplo-cegos, que testaram a tafenoquina em uma dose única de 300 mg em mais de 800 indivíduos. A eficácia foi semelhantes à da primaquina. LEIA MAIS: Malária – o que você precisa saber sobre a profilaxia para viajantes Contraindicações A tafenoquina é contraindicada para pacientes que são alérgicos à tafenoquina ou outros agentes contendo 8-aminoquinolina, e para aqueles que são deficientes em glicose

26 de junho de 2018

Imagem relacionada O artigo “Comprehensive systematic review summary – Treatment of cerebellar motor dysfunction and ataxia”, é uma revisão que objetiva verificar o nível de recomendação de tratamentos propostos para disfunção motora cerebelar e ataxia. Ele se inicia explicando as inúmeras possíveis causas de disfunção cerebelar: deficiências de vitaminas, lesões estruturais, infecções, doenças inflamatórias e desmielinizantes, toxinas, neurodegeneração, genéticas e erros de metabolismo. Os sintomas, além da ataxia, podem incluir tremores, desequilíbrio, disartria, alterações oculomotoras e distonias; podem vir acompanhadas de neuropatia periférica, parkinsonismo, espasticidade, perda de acuidade visual, alterações de humor e até declínio cognitivo. Ele segue então, de forma estruturada, tentando responder a três perguntas sobre possíveis tratamentos farmacológicos e/ou cirúrgicos, visto que não existe nenhuma diretriz ou linha de tratamento específica para estes casos. Primeira pergunta: Para pacientes com disfunção cerebelar, o uso de terapias farmacológicas versus terapias alternativas ou nenhuma terapia melhora os sintomas motores com seg