A Doença
A distonia é uma doença que exige um profissional com conhecimento especifico em Distúrbios do Movimento.
Tratamentos
Para tratar é preciso confiar em seu médico. A sua relação com o profissional que você vai entregar a sua saúde precisa ser de confiança.
Exames
Que podem diagnosticar a Distonia são: a eletroneuromiografia, de sangue, de urina e análise do líquido cefalorraquidiano.
2 de setembro de 2018

O que eu, distônica, penso em relação aos amigos

Sei que não sou mais a mesma, fiquei mais retraída e não gosto de ficar em evidência, pra que ninguém perceba algo errado em mim. Muitos dos amigos que eu pensava ter se foram, mas ganhei novos. Digo até que comecei a fazer parte de uma grande família chamada “família D”, uma família que entende minhas angústias e limitações, que me orientam e dão ótimas dicas para melhor viver. Digo até que existia um Eu antes e um Eu depois de fazer parte dessa família. Voltando aos amigos, fico muito chateada quando me olham com aquela cara de dó, como se estivessem me dando uma sentença de morte. Não estou morrendo, não ainda, simplesmente tenho algo que tentará me derrubar, mas eu não vou me deixar levar sem uma boa peleja. É progressivo? Degenerativo? Sim! Mas eu consigo driblar sua evolução com tratamentos, atividade física e muito bom

Postado em Blog, Minha Vida por Administradora
31 de agosto de 2018

https://youtu.be/zzrCrI7qVAs?t=3 * Siga o Dr. Eduardo Fontana – quiropraxista neurocientista funcional também em suas outras redes: Facebook https://www.facebook.com/quiropraxianeurofuncional/ Site http://www.equilibriumbraincenter.com.br Instagram https://www.instagram.com/equilibriumbrain/?hl=pt-br E-mail: m.me/quiropraxianeurofunciona


Ser um facilitador em

Postado em Blog, Informativo, Neurologia Funcional, Quiropraxia, Vídeos por Administradora
31 de agosto de 2018

                      O bloqueio do nervo occipital é útil no diagnostico e tratamento da neuralgia occipital ou cefaleia cervicogênica. Esta técnica é também útil para produzir anestesia cirúrgica na distribuição dos nervos occipitais maior e menor para remoção de lesão e reparo de laceração.

Anatomia clinicamente relevante

O nervo occipital maior é formado por fibras do ramo dorsal primário do segundo nervo cervical e, em menor extensão, por fibras do terceiro nervo cervical. O nervo occipital maior perfura a fáscia logo abaixo da linha nucal superior junto com a artéria occipital. Ele inerva a porção medial do couro cabeludo posterior até o ápice. O nervo occipital menor é formado por ramos primários ventrais dos segundo e terceiro nervos cervicais. O nervo occipital menor transita numa posição mais alta, ao longo da borda posterior do músculo esternocleidomastoideo, dividindo-se em ramos cutâneos que enervam a porção lateral do couro cabeludo posterior e a superfície cranial do pavilhão de orelha.

 

Técnica

O paciente é colocado