A Doença
A distonia é uma doença que exige um profissional com conhecimento especifico em Distúrbios do Movimento.
Tratamentos
Para tratar é preciso confiar em seu médico. A sua relação com o profissional que você vai entregar a sua saúde precisa ser de confiança.
Exames
Que podem diagnosticar a Distonia são: a eletroneuromiografia, de sangue, de urina e análise do líquido cefalorraquidiano.
5 de julho de 2017

1. DEFINIÇÃO

É a utilização do cavalo como recurso terapêutico para o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência ou de necessidades especiais. Na equoterapia, o cavalo é utilizado como um meio de se alcançar os objetivos terapêuticos. Ela exige a participação do corpo inteiro, de todos os músculos e de todas as articulações. 2. HISTÓRICO O uso do cavalo como forma de terapia data de 400 A.C. quando Hipócrates utilizou-se do cavalo para “regenerar a saúde” de seus pacientes, e desde 1969 a NARHA (Associação Americana de Hipoterapia para Deficientes) vem divulgando na América do Norte o método, que, na Europa, já é conhecido a mais de 20 anos. No Brasil, a partir dos anos 70, quando foi criada a ANDE-Brasil (Associação Nacional de Equoterapia), o tratamento tomou maior impulso, mas somente nos últimos seis anos é que se pode notar o verdadeiro crescimento desta modalidade terapêutica, haja visto o número crescente de centros de equoterapia em todo território nacional. A Equoterapia foi reconhecida como método terapêutico em 1997 pela Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitacional e pelo Concelho Federal de Medicina. 3 . POR QUE O CAVALO? O cavalo é utilizado como r

Postado em Blog por Nilde Soares
4 de julho de 2017

1. Sintomas de movimentos involuntários e outras condições A boca e a mandíbula desempenham papéis importantes em diversas funções, tais como comer, mastigar, falar e engolir. No entanto, diversos problemas ocorrem quando os músculos que movem a mandíbula e a boca sofrem excessiva contração involuntária. Esses problemas incluem dificuldade de mastigação de alimentos (desordem mastigatória), incapacidade de abrir a boca (trismo) ou fechar a boca, movimentos involuntários da boca, língua e lábios, dor muscular, movimentos laterais da mandíbula (desvio mandibular), dificuldade para engolir (disfagia) ou falar (disartria). Estes sintomas podem ser causados devido à distonia da boca e mandíbula (distonia oromandibular), distúrbios da articulação temporomandibular, discinesia oral, bruxismo e hiperplasia no tendão-aponeurose dos músculos mastigatórios (masticatory muscle tendon-aponeurosis hyperplasia). A causa dos sintomas pode ser uma destas doenças, mas pode haver coexistência de mais de uma doença. Uma variedade de movimentos involuntários pode ocorrer na região orofacial. A maioria deles não é diagnosticada corretamente. Um diagnóstico incorreto da distonia oromandibular como sendo uma disfunção da articulação temporomandibular, doença psicogênica, bruxis

Postado em Blog por Nilde Soares
3 de julho de 2017

A Termografia Clínica Funcional é utilizada como método de diagnóstico capaz de apontar alterações metabólicas e fisiológicas que podem revelar a extensão de lesões e suas áreas dolorosas, confirmando ou alterando diagnósticos clínicos, sendo um exame indolor e sem contraste que possibilita a visualização das alterações térmicas da superfície cutânea. A imagem térmica digitalizada de alta resolução gerada é conhecida como termograma e pode-se proceder avaliação quantitativa (baseada em critérios térmicos) e qualitativa (baseada em critérios não térmicos – área, distribuição, forma e simetria) das imagens. Este exame é um exame de Diagnóstico Funcional, que é dado pelo padrão de assimetria, e reflete a fisiologia ou a fisiopatologia da DOR ou da região à distância da DOR. Os achados deste exame devem ser correlacionados com as queixas do paciente e manifestações clínicas. Segundo “… Constitui-se em um exame revolucionário ao proporcionar a possibilidade de visualizar a sensação subjetiva da dor por exibição objetiva das mudanças na temperatura na superfície cutânea.”

Postado em Blog por Nilde Soares