A Doença
A distonia é uma doença que exige um profissional com conhecimento especifico em Distúrbios do Movimento.
Tratamentos
Para tratar é preciso confiar em seu médico. A sua relação com o profissional que você vai entregar a sua saúde precisa ser de confiança.
Exames
Que podem diagnosticar a Distonia são: a eletroneuromiografia, de sangue, de urina e análise do líquido cefalorraquidiano.
4 de julho de 2017

1. Sintomas de movimentos involuntários e outras condições A boca e a mandíbula desempenham papéis importantes em diversas funções, tais como comer, mastigar, falar e engolir. No entanto, diversos problemas ocorrem quando os músculos que movem a mandíbula e a boca sofrem excessiva contração involuntária. Esses problemas incluem dificuldade de mastigação de alimentos (desordem mastigatória), incapacidade de abrir a boca (trismo) ou fechar a boca, movimentos involuntários da boca, língua e lábios, dor muscular, movimentos laterais da mandíbula (desvio mandibular), dificuldade para engolir (disfagia) ou falar (disartria). Estes sintomas podem ser causados devido à distonia da boca e mandíbula (distonia oromandibular), distúrbios da articulação temporomandibular, discinesia oral, bruxismo e hiperplasia no tendão-aponeurose dos músculos mastigatórios (masticatory muscle tendon-aponeurosis hyperplasia). A causa dos sintomas pode ser uma destas doenças, mas pode haver coexistência de mais de uma doença. Uma variedade de movimentos involuntários pode ocorrer na região orofacial. A maioria deles não é diagnosticada corretamente. Um diagnóstico incorreto da distonia oromandibular como sendo uma disfunção da articulação temporomandibular, doença psicogênica, bruxis

Postado em Blog por Nilde Soares
3 de julho de 2017

A Termografia Clínica Funcional é utilizada como método de diagnóstico capaz de apontar alterações metabólicas e fisiológicas que podem revelar a extensão de lesões e suas áreas dolorosas, confirmando ou alterando diagnósticos clínicos, sendo um exame indolor e sem contraste que possibilita a visualização das alterações térmicas da superfície cutânea. A imagem térmica digitalizada de alta resolução gerada é conhecida como termograma e pode-se proceder avaliação quantitativa (baseada em critérios térmicos) e qualitativa (baseada em critérios não térmicos – área, distribuição, forma e simetria) das imagens. Este exame é um exame de Diagnóstico Funcional, que é dado pelo padrão de assimetria, e reflete a fisiologia ou a fisiopatologia da DOR ou da região à distância da DOR. Os achados deste exame devem ser correlacionados com as queixas do paciente e manifestações clínicas. Segundo “… Constitui-se em um exame revolucionário ao proporcionar a possibilidade de visualizar a sensação subjetiva da dor por exibição objetiva das mudanças na temperatura na superfície cutânea.”

Postado em Blog por Nilde Soares
25 de junho de 2017

A maconha é composta por mais de 400 substâncias, sendo que, pelo menos 66 delas são específicas dessa planta e chamadas canabinoides. O delta-9-tetra-hidrocanabinol, o THC, está mais presente e imagina-se ser ele responsável pela maioria dos efeitos psicoativos relacionados ao seu uso. Outros dois canabinoides muito presentes são o canabinol e o canabidiol (CBD). O canabinol tem ação maior em sistema imune e pode diminuir a intensidade dos efeitos subjeticvos do THC, embora os prolongue. O CBD responde a cerca de 40% dos canabinoides presentes na maconha e pode ter ação na redução da ansiedade, dos sintomas psicóticos (como ouvir vozes e delírios), na indução de sonolência e na proteção de crises convulsivas. No homem, os canabinoides da maconha se ligam a, pelo menos, dois tipos de receptores (locais das células nervosas, dos neurônios, aos quais as substâncias se ligam para gerar seus efeitos no corpo e no comportamento), os chamados CB1 e CB2, sendo o primeiro mais encontrado no cérebro. Como esses receptores estão presentes e são acionados por substâncias endógenas (produzidas pelo próprio corpo), bem como pelos canabinoides externos, todo o sistema é chamado sistema endocanabinoide e é responsável pelo controle da atividade cerebral independentemente da presença ou não das substâncias da maconha. Ou seja, naturalmente, o sistema endocana

Postado em Blog por Nilde Soares