Tag: Estudos

1 17 de abril de 2018

Olá, Imagine a cena: Você tem uma consulta médica marcada para às 14h. Chega às 13:50 no consultório, espera quase uma hora (além do seu horário) para ser atendido, finalmente o médico te chama. Ele nunca te viu, pergunta o que você está sentindo, no máximo sabe a sua idade. Não te pesa, não pergunta sua altura, nem sobre seus hábitos ou doenças preexistentes, passa um monte de exames e manda voltar com eles prontos.

Você também pode substituir essa cena por uma versão “encurtada” (se é que isso é possível): o médico pergunta “o que você tem” (opa, não era ele quem deveria dizer isso?), fecha um diagnóstico precipitado, estica a mão até um armário que está perto dele, te dá umas amostras grátis, pega o receituário, coloca uns nomes específicos de remédios em uma letra impossível de ler e fala pra você voltar quando terminarem os medicamentos.

Ah, mas tudo bem, você deve pensar que o consultório tá cheio, que as pessoas (inclusive você)

1 25 de janeiro de 2018

Sobre Dr. Joaquim Farias

Olá, Você se lembra do post passado? Nele contei sobre a minha descoberta de diagnóstico e comecei a falar sobre um médico inovador. Então, hoje vou continuar a falar sobre esse profissional que é pesquisador, músico, terapeuta e muito mais queM é o Dr. Farias.

Quem é ele?

Joaquim Farias é diretor do Neuroplastic Training Institute of Toronto e pesquisador da Universidade de Toronto, Canadá. Especialista líder em tratamento de distonia com terapia de movimento. Possui doutorado em biomecânica, além de mestrado em reabilitação neuropsicológica, psicossocial e ergonomia. As credenciais combinadas do Dr. Farias permitem que ele trate efetivamente a Distonia, além de usar suas experiências pessoais únicas como: músico, instrutor de artes marciais, Shiatsu, médico Qigong Therapist, viajante mundial e pesquisador de movimento. Ufa, é bastante coisa!

2 11 de janeiro de 2018

Como descobri: O que eu tinha e o Dr. Farias

  Olá, Há pouco tempo me deparei com um método inovador do tratamento da Distonia. Mas para falar dele, preciso falar antes sobre o que é a Distonia, sintomas e tratamentos convencionais. E essa vai ser a primeira parte desse teto que quero compartilhar com vocês! Então, vamos lá… Hoje, vamos falar sobre a Distonia cervical ou torcicolo espasmódico, os dois nomes são utilizados para referenciar o mesmo problema. Trata-se de uma condição caracterizada por espasmos intermitentes ou contrações involuntárias do pescoço e músculos do ombro (região da cervical). As contrações dos músculos cervicais fazem com que o pescoço fique fora de sua posição normal. Essa é a forma mais comum de Distonia, e é a que eu tenho. O torcicolo espasmódico é geralmente idiopático (se manifesta espontaneamente sem associação a outra doença, apresentando causas obscuras ou desconhecidas). Somente 5% dos pacientes apresentam histórico familiar. Um terço dos pacientes apresenta outras distonias (por ex.: pálpebra, rosto, mandíbula, mão) coexistentes. Contudo, o torcicolo também pode ser congênito ou secundário a outras condições, bem como lesões na raiz cerebral e no gânglio basal. Os sintomas podem começar em qualqu